Investigação Futebol Clube

Todo grande jornalista já passou por uma editoria de esportes. Guardada aqui uma ou outra exceção, essa regra tem sentido. No caderno de esportes, é possível fazer todo tipo de reportagem. Cubra a eleição de um clube e você verá boas matérias sobre política. Faça um diagnóstico da crise do seu time, está aí uma pauta sobre economia. Entreviste o médico de plantão sobre a lesão do craque do campeonato, e a editoria estará pronta para publicar um bom texto sobre saúde.

O futebol brasileiro é pródigo, também, em matérias policiais. Nas páginas dos principais jornais do Brasil, nasceram as CPIs da Nike e da CBF, no começo da década de 2000. O mesmo país do futebol produziu três escândalos de arbitragem num período de oito anos, entre o “1-0-0”, de Alberto Dualib, em 1997, ao caso Edilson Pereira de Carvalho, em 2005.

Este último caso, na pena de André Rizek, é um dos escolhidos neste trabalho brilhante de Fernando Molica. São “11 gols de placa” mesmo, nesta seleção de grandes reportagens sobre futebol.

Não, o futebol não é só caso de polícia e é por isso que merece a mais profunda investigação, como este trabalho se propõe. Desde o primeiro capítulo, em que Molica recupera o texto impecável de João Máximo, para contar como é difícil concretizar o sonho de virar craque neste dito “país do futebol”. À parte os 11 gols de placa, você está diante de mais um. A impecável seleção de Fernando Molica.

Paulo Vinicius Coelho